5 comidas com nomes diferentes nos EUA e Inglaterra

Geralmente, as diferenças entre o inglês britânico e o americano se limitam à pronúncia e vocabulário e podem até ser deduzidas pelo contexto em que aparecem sem maiores problemas. Mas, quando o assunto é comida, essas diferenças podem causar bastante confusão.

Por isso, para ajudar você nessas horas, separamos aqui cinco comidas com nomes diferentes no inglês americano e no britânico:

Biscuit ou Cookie

Enquanto na Inglaterra, os falantes se referem a “biscoito” por biscuit, nos Estados Unidos, os falantes usam a palavra cookie ou cracker. Se disser biscuit nos Estados Unidos, na verdade, você estaria pedindo um pãozinho que acompanha as refeições!

Chips ou Crisps

Quando bater vontade de comer batata frita de pacotinho, pode pedir por chips nos Estados Unidos e por crisps na Inglaterra. E cuidado: por chips, os britânicos entendem uma versão menor das porções tradicionais de batata frita, conhecidas por fries nos EUA.

Sorbet ou Sherbet

As duas palavras se referem a uma sobremesa refrescante, geralmente feita com raspadinha de frutas. Na Inglaterra, o nome é sorbet e, nos EUA, sherbet.

Courgette ou Zucchini

Essas foram emprestadas de línguas diferentes, mas significam a mesma coisa: abobrinha. Enquanto o empréstimo dos britânicos é da palavra francesa courgette, o dos americanos é da italiana zucchini.

Fish Fingers ou Fish sticks

As famosas iscas de peixe também levam um nome diferente em cada lugar: nos Estados Unidos, elas são conhecidas por fish sticks, mas, se atravessar o oceano, na Inglaterra, chame-as de fish fingers.

Essas são apenas cinco comidas cujos nomes variam de acordo com o lugar onde estamos e, com certeza, elas já nos ajudam a evitar confusão lá fora. Agora, conte para a gente: quais delas vocês já conhecia? Consegue se lembrar de mais exemplos? Compartilhe nos comentários e treine seu inglês!

Aproveite e aprenda mais um pouco com nosso vídeo:

Escrito por Bárbara Braga

Bárbara Braga

Bárbara é estudante de Letras pela Universidade de São Paulo e trabalha na equipe de conteúdo da EF Englishtown. Estuda inglês desde criança, quando descobriu a sua afinidade por aprender novos idiomas. Seu interesse pelo inglês a levou a escolher a habilitação inglesa na faculdade, a fim de se aprofundar em aspectos estruturais e culturais da língua.

Além do inglês, atualmente ela também estuda o francês e espanhol, e assume que seu grande hobby é observar as línguas e atentar-se ao uso que os falantes fazem delas. Afinal, isso pode contribuir (e muito!) para a realização do seu grande sonho de viajar o mundo.

Você também pode gostar desses artigos

4 comments

Deixe um comentário!

Seu e-mail não será publicado. Os campos marcados são obrigatórios