Aprenda as frutas em inglês

Se existe uma coisa que nós, brasileiros, conhecemos e consumimos muito é “fruit” (frutas). Isso porque nosso país possui uma diversidade delas. Já conseguiu entender qual é o tema desse post, não é? Hoje, falaremos sobre as frutas em inglês.

Uma coincidência legal é que “laranja” é a cor e a fruta em português, assim como em inglês: “orange” também serve para as duas coisas. Além disso, podemos dizer que ela é “acid and citric”, ou seja, ácida e cítrica.

Outra curiosidade é a “banana”, que em inglês é escrita da mesma forma. O que muda é apenas a pronúncia. A segunda sílaba é a mais forte, caracterizada por esse apóstrofo antes dela: /bəˈnɑː.nə/. Entendeu?

Uma fruta que tem um nome engraçado é a melancia, conhecida como “watermelon”, uma mistura de “water” (água) e “melon” (melão), talvez por ela ser aguada e ainda assim doce. Esta é mais uma palavra para o seu vocabulário: “melon”, que também é bastante parecida com o português “melão” e, portanto, fácil de memorizar!

Agora, uma que todo mundo conhece e que é o nome de uma grande marca de produtos tecnológicos, a famosa maçã é conhecida como “apple”. Em relação às maçãs, temos cores diferentes: “green apples” (maçãs verdes) ou as mais convencionais “red apples” (maçãs vermelhas).

Em seguida, vejamos as frutas vermelhas, chamadas de “berries”. Dentre elas, temos “strawberry” (morango), “blueberry”, conhecido como mirtilo, e “cranberry”, que não é muito comum entre nós, chamada de oxicoco ou pelo seu nome em inglês. Esta, por sinal, é uma fruta com altíssima concentração de “vitamin C”, aquela que encontramos também no “pineapple” (abacaxi) e no “lime” (limão). Achou que limão em inglês era “lemon”? Tudo bem, é fácil de confundir – na verdade, “lemon” é o limão siciliano, que não é tão azedo quanto o outro.

Que tal aproveitar essa quantidade de palavras novas e fazer uma “fruit salad”? Conte para a gente: quais frutas você faz questão de ter na sua “fruit salad”?

Escrito por Sarah Oliveira.

Sarah Oliveira

A Sarah é estudante de Letras pela Universidade de São Paulo e assistente de conteúdo da EF Englishtown. Seu interesse por inglês vem desde criança, quando escolhia assistir aos filmes legendados para aprender palavras e expressões novas.
Decidiu estudar Letras, pois é fascinada pela cultura britânica, americana e mundial, e nada melhor do que o inglês para ter um contato profundo com diferentes literaturas e artes.

Você também pode gostar desses artigos

Deixe um comentário!

Seu e-mail não será publicado. Os campos marcados são obrigatórios